Em construção!

Coronavírus: Moradores de Itapetinga ignoram recomendações da OMS e lotam lotéricas e agências bancárias

Os itapetinguenses lotaram as casas lotéricas e agências bancárias na manhã desta sexta-feira (20) apesar das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) de isolamento social ou adotar horários alternativos para evitar aglomeração de pessoas.

Filas gigantescas, formadas também por idosos, chamaram atenção de quem passou nas proximidades das agências bancárias, no Centro de Itapetinga.

A prefeitura local orientou via decreto que as pessoas fiquem em casa, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, no entanto, não há controle de acesso a determinados estabelecimentos, ainda. Até a publicação desta notícia, nenhum caso suspeito de coronavírus havia sido registrado em Itapetinga.


As escolas foram fechadas e os eventos cancelados para evitar justamente aglomeração de pessoas, mas, as imagens registradas por leitores do IRepórter mostram que muitas pessoas não estão preocupadas com o vírus.


As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, nesta sexta-feira (20), 651 casos confirmados de coronavírus no Brasil em 23 estados e no Distrito Federal. Na Bahia, subiu para 33 o número de casos confirmados do coronavírus.
Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.

Medidas de prevenção, segundo o Ministério da Saúde

Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc.

Quanto à frequência nas academias, a orientação é de optar por se exercitar ao ar livre em vez de fazer aulas de ginástica em locais fechados.

Para idosos, doentes crônicos e pessoas com outras condições especiais, como tratamento de câncer, transplantados, doentes renais, a recomendação é conversar com o médico para que as receitas de medicamentos sejam renovadas e, se possível, dadas por um tempo maior. A medida é para evitar a necessidade de ir à farmácia do posto de saúde ou do bairro no período de maior circulação de vírus respiratórios (influenza, por exemplo).

Por Eudo Mendes/ IRepórter